Escrito em por & arquivado em Ciência do Clima.

DO OC

Depois de comemorar o acordo de Paris, voltemos à realidade: novembro de 2015 foi o mais quente pelo menos desde 1880, assim como foram outubro, setembro, agosto, julho, junho, maio e março. Abril, fevereiro e janeiro não ficaram muito atrás e estiveram entre os cinco meses mais quentes de que se tem registro. Não é difícil concluir que este será o ano mais quente da história, batendo o recorde de 2014.

De acordo com a NOAA (Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera dos EUA), a temperatura média global em novembro foi 0,97 grau Celsius superior à média registrada no século 20. A taxa ultrapassa o recorde anterior, de 2013, em 0,15ºC.

Para 2015 não se tornar o ano mais quente entre os 136 anos de registro, a temperatura global em dezembro teria de ser pelo menos 0,81°C abaixo da média – ou 0,24°C mais frio que dezembro de 1916, o recorde de baixa temperatura para o mês.

A extensão média do gelo do mar Ártico para novembro 2015 ficou 8,3% abaixo da média para o período de 1981 a 2010. É a sexta menor medida para o mês desde que os registros começaram, em 1979, de acordo com dados da NOAA e da NASA.

Gráfico da NOAA mostra, em vermelho, regiões do globo que registraram temperaturas mais altas que o normal em novembro de 2015.

Novembro pelo mundo

– Na América do Sul, o mês foi o quinto mais quente da história

– Na Europa, foi o mais quente desde 1910

– O furacão Sandra foi o maior já registrado no oeste do Pacífico, com ventos de até 230 km/h

– O Iêmen foi atingido pelo ciclone tropical Chapala, com ventos de até 250 km/h, e pelo ciclone Megh, com ventos de 100 km/h

– Os Estados Unidos tiveram o mês mais chuvoso desde 1895

– Na Austrália, foi o terceiro novembro mais quente desde 1910

Deixe um comentário

Você deve estar registrado para deixar um comentário.