Escrito em por & arquivado em Campanhas, Floresta e Diversidade Biológica.

Por Marcio Astrini, do Greenpeace Brasil

campanha greenpeace amazonia

 

Na semana passada, o Greenpeace lançou a campanha Chega de madeira ilegal denunciando a exploração predatória de madeira que está contribuindo para a destruição da Amazônia.

O lançamento foi marcado por uma ação em Belém, em que ativistas ocuparam uma madeireira e estenderam faixas com mensagens que chamavam atenção para a fragilidade do atual sistema de controle de comércio de produtos florestais. Frequentemente, em vez de conter o crime, ele é usado para ‘lavar’ madeira produzida de forma predatória e ilegal que, mais tarde, será vendida como se fosse legal.

Em menos de uma semana desde que a campanha está nas ruas, as denúncias do Greenpeace já começam a mostrar resultado. Foram enviados mais de 15 mil e-mails aos principais pré-candidatos à presidência exigindo que se posicionem sobre o problema e apresentem soluções. Além disso, na Itália, o ministro de Agricultura e Florestas, Maurizio Martina, anunciou a aprovação do decreto que regulamenta a aplicação da legislação europeia de combate à madeira ilegal. Nos EUA, mais de 40 mil pessoas também aderiram à campanha e enviaram mensagem pedindo que uma empresa local pare de comprar madeira sem garantia de origem.

Faça a sua parte: mande uma mensagem à presidenta Dilma e aos candidatos à Presidência da República para que se posicionem sobre o tema e apresentem compromissos e soluções para o problema. Assine a Petição!

Juntos podemos ajudar a dar um ponto final nesses crimes ambientais. Cada árvore que tomba sem nenhum tipo de controle representa mais um passo para o fim de nossas florestas. Faça parte do nosso time. Junte-se a nós.

 

Deixe um comentário

Você deve estar registrado para deixar um comentário.