Escrito em por & arquivado em Política e Clima.

Por Bruno Toledo (OC)

Enquanto o norte dos Estados Unidos e o Canadá sofrem com temperaturas glaciais (em alguns casos, temperaturas marcianas, abaixo dos -50ºC), o Reino Unido sofre com enchentes e o norte da Europa vive um dos invernos mais amenos em décadas.

Muitos cientistas e especialistas em clima já reconhecem que esses eventos extremos são consequência direta do aumento da temperatura média global, que possibilita a ocorrência mais frequente de situações climáticas críticas, como o frio glacial na América do Norte e as altas temperaturas no Sudeste brasileiro e na Austrália.

Agora, os políticos também estão começando a fazer a mesma relação. A Casa Branca publicou um vídeo em que John Holdren, assessor especial de Barack Obama, explica como o vórtice polar está sendo causado pelo aquecimento do planeta (veja abaixo). Mudanças climáticas continuam sendo um tema bastante politizado nos EUA, com o Partido Republicano e sua ala mais conservadora, o Tea Party, ainda refutando frontalmente tanto a noção de que o clima do planeta esteja mudando quanto a possível responsabilidade humana por esse processo.

Muitos líderes conservadores do país tem aproveitado o intenso frio e a desconfiança de boa parte dos cidadãos norte-americanos no tema para reforçar que o planeta “não está aquecendo” – ainda que aquecimento global não implique necessariamente em temperaturas mais altas em todo o planeta, mas sim em aumento da temperatura média do planeta, que pode causar ondas intensas de calor e de frio.

Mais singular ainda foi o discurso de David Cameron, primeiro-ministro conservador britânico, em que ele “suspeita” que as enchentes e a chuva intensa que afeta o país também são consequência das mudanças do clima. Em se tratando do gabinete de Cameron, que abriga um ministro do meio ambiente notoriamente cético às mudanças climáticas, este reconhecimento é muito importante.

No entanto, os eventos climáticos extremos ainda não “sensibilizaram” o governo conservador da Austrália, que desmantelou quase todas as políticas públicas, ferramentas e instituições que lidavam com mudanças climáticas no país. O intenso calor que atinge o país-continente está provocando incêndios florestais e está batendo recordes de temperatura, mas o governo continua refutando a conexão entre clima e a onda de calor.

Deixe um comentário

Você deve estar registrado para deixar um comentário.